Dayse Cristina Oliveira Melo | Amamentação e Sono

Produção adequada de leite materno

O mito do leite fraco interfere na produção

Publicado em 16/02/2018

Dayse Cristina Oliveira Melo

Dayse Cristina Oliveira Melo - Amamentação e Sono

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Produção adequada de leite materno

Uma das razões do desmame precoce é a crença da mãe de que não tem leite suficiente para nutrir. Acredita, também, que seu leite não será “forte” o suficiente para o ganho de peso necessário do seu filho. Isso ocorre em razão de muitas crenças populares e desinformação acerca da técnica e manejo correto para a amamentação.

 

Acrescentamos ao processo de amamentação, além da técnica e manejo, as questões emocionais tão importantes para o sucesso do aleitamento materno. Estamos certos de que apoiar a mãe nesse momento faz toda diferença na manutenção da produção de leite materno.

 

Além das questões técnicas, algumas outras são relevantes para aferição de uma amamentação adequada:

 

- o número de trocas de fraldas por dia. No final da primeira semana o bebê deve apresentar entre 6 a 8 trocas diárias;

 

- as evacuações. Essa é uma questão controversa, mas sabemos que um bebê que mama com efetividade tende a evacuar, afinal, o seu sistema gastrointestinal estará trabalhando para sua digestão e absorção dos nutrientes presentes no leite materno;

 

- certificar-se de que a frequência e eficácia das mamadas estão garantindo um processo de amamentação estável;

 

- amamentação em ‘livre demanda’ – o bebê deve ir para o seio materno sempre que apresentar sinais de fome e, exatamente por isso, faz-se necessário entender como funciona todo o processo;

 

- a avaliação do pediatra é sempre muito importante, acompanhando o ganho de peso e crescimento do bebê.

 

Esses são pontos que os pais devem observar e relatar ao médico que acompanha o bebê.

 

Sempre que o bebê estiver em amamentação exclusiva e recebendo leite em quantidade suficiente para o seu desenvolvimento, isso deve ser reafirmado para a mãe, que consciente do seu papel e encorajada, permanecerá com o aleitamento.

 

A quantidade de leite é ajustada ao longo do processo de amamentação. A frequência maior de mamadas dos bebês recém-nascidos deve-se a pequena capacidade estomacal, bem como digestibilidade fácil. A cada mamada o recém-nascido melhora o seu padrão mecânico de sucção e deglutição e garante a manutenção da produção de leite.

 

O leite materno é o alimento nutricionalmente mais completo para o seu filho.

 

Esqueçam as crenças e ditados populares e... amamentem!

 
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Dayse Cristina Oliveira Melo

Consultora Materna Especialista em Aleitamento Materno
Consultora do Sono Infantil 
Proprietária da A Mamãe Nasceu Assessoria
Mãe do Henri e esposa do Carlos