Dra. Cristina Linhares Rodrigues | Psiquiatria Geral e Perinatal

O puerpério e o luto por quem já fomos

Recém nascida também é a mãe, assim como a mulher que surge depois da maternidade

Publicado em 24/05/2018

Dra. Cristina Linhares Rodrigues

Dra. Cristina Linhares Rodrigues - Psiquiatria Geral e Perinatal

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
O puerpério e o luto por quem já fomos

Quando engravidamos começamos a sonhar. Sonhamos com nomes, cheiros, cores e um rostinho de bebê que vamos conhecer depois de nove meses de espera. Geralmente com o rostinho cor de rosa, as mãozinhas gordas e o cheiro de neném vem à nossa nova realidade, mas,  no início da maternidade, a realidade é diferente dos nossos sonhos e ela se chama puerpério.

 

A chegada do bebê é também o início de um período com o qual ninguém sonha. Na verdade muitas mulheres nem sabem que ele existe porque não se fala muito disso antes de ele chegar atropelando tudo que imaginávamos sobre os nossos primeiros dias como mãe.

 

O puerpério é um período de separação física entre mãe e filho depois de nove meses sendo um, mas é também quando começa uma conexão emocional crescente e intensa.

 

Muitas vezes este processo é sombrio e permeado de inseguranças, medos e dúvidas que geram uma constante sensação de culpa. Apesar do recém chegado pequeno ser humano ocupar muito espaço na nossa vida sentimos constantemente um enorme vazio que por vezes não conseguimos explicar.

 

Hoje eu sei que o meu vazio vinha da perda do antigo eu. Da estranheza de não reconhecer mais o meu corpo no espelho e de me sentir inadequada o tempo todo. Da compreensão de que eu não seria mais a mesma mulher que havia sido por 34 anos e do medo de nunca mais me reinventar e de não sentir nada a não ser aquele amor tão avassalador que parecia maior que meu amor próprio.

 

Mas recém nascida também é a mãe, assim como a mulher que surge depois desta experiência extraordinária que é a maternidade.

 

Sim, nós passamos por um período de luto quando nos tornamos mães e perdemos pelo menos uma parte da nossa identidade, mas saindo deste período de sombra conseguimos nos reencontrar. Nós nos apaixonamos pelo nosso bebê e aprendemos nossa nova função, construindo outra identidade diferente mas igualmente admirável e potencialmente mais forte. 

 

O puerpério é tema em nosso Curso para Gestantes, a próxima turma acontecerá no dia 16/6. Mais informações pelo link: http://bit.ly/2srPkOL

 

 
 
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Dra. Cristina Linhares Rodrigues

Psiquiatria geral e perinatal
Graduada pela Faculdade de Medicina de Santo Amaro UNISA
Pós-graduada pelo Instituto Superior de Medicina ISMD
Parte do corpo clínico da Clínica Ellas especializada em saúde da mulher