Mães & Filhos | NOTÍCIA

Pediatra alerta para os cuidados com a Síndrome mão-pé-boca

Síndrome, de origem viral, é comum em crianças e tem um quadro clínico clássico

Publicado em 18/12/2019

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Pediatra alerta para os cuidados com a Síndrome mão-pé-boca

A síndrome mão – pé – boca é causada por um vírus altamente contagioso chamado Coxsackie, podendo ser passada de pessoa para pessoa, através de objetos contaminados e nas fezes.

 

Essa doença ocorre na maioria dos casos em menores de 5 anos, mas os adultos também podem ser infectados. “Por isso, após trocar o bebê deve ser feita uma higiene rigorosa das mãos. Todo cuidado é necessário, já que a transmissão pode ocorrer também através da saliva, tosse e espirro. Sendo assim, a criança que está com essa doença não deve ter contato com outras crianças, ” alerta a pediatra Dra. Loretta Campos

 

Os sintomas surgem entre 3 a 7 dias após a infecção, a criança apresenta febre alta, dor de garganta, também ocorre uma diminuição do apetite e em alguns casos diarreia. Além disso, a síndrome mão – pé – boca pode evoluir para aftas na boca, deixando as crianças irritadas, e lesões na pele tipo “bolhas” nas mãos, pés (palma e planta) que causam coceira, na região do períneo e em todo o corpo. 


O tratamento consiste no controle dos sintomas, ou seja, fazer uso de medicamentos para a coceira, antitérmicos, analgésico, pomadas para a dor das aftas. Outro cuidado importante é evitar o contato com outras crianças. Caso o quadro seja de febre ou lesões pelo corpo sem nenhum motivo ou causa aparente, não deve levar o pequeno no parquinho ou brinquedoteca, e, principalmente, os pais precisam procurar um pediatra.

 

Dra. Loretta Campos: Pediatra e Consultora de Aleitamento Materno é pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. 

 

Instagram:

@dralorettapediatra

@somosmaesdeprimeiraviagem

 

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus